TRC amargou prejuízo de R$ 1 bi com roubo de carga em 2013.

O número de ocorrências de roubo de cargas em 2013 aumentou 5,5% em relação ao ano anterior, registrando 15,2 mil casos e um prejuízo de R$ 1 bilhão para o setor. É o que diz o levantamento desenvolvido pela assessoria de segurança da NTC&Logística (Associação Nacional dos Transportadores de Carga & Logística).

De acordo com a entidade, este número é o maior dos últimos dezesseis anos. No período analisado, a região Sudeste teve o maior registro, com 81,29% dos casos, sendo que os Estados de São Paulo (52,5%) e Rio de Janeiro (23,3%) tiveram mais incidências.

São Paulo, onde há mais ocorrências, concentra dois perfis de roubos de carga. Os maiores roubos são realizados por quadrilhas especializadas que contam com o apoio de grandes receptadores e priorizam o roubo de eletrônicos, artigos farmacêuticos e pneus. Já os roubos de oportunidade, considerados pequenos delitos, priorizam veículos de entrega urbana de carga, de menor volume e valor,e representam 80% dos casos registrados.

“O maior problema do setor é a legislação branda para os criminosos envolvidos no roubo de cargas. Pela lei 12.403/2011, que modificou o Código Penal, esse crime é considerado de menor potencial ofensivo, situação em que o acusado é indiciado, paga fiança e espera o processo em liberdade”, diz o coordenador do estudo, Coronel Paulo Roberto de Souza. No novo Código Penal, que tramita no Congresso Nacional, estamos trabalhando para agravar a pena desse tipo de crime”.

Os números divulgados foram calculados pela NTC&Logística com base nos dados informados pelas Secretarias de Segurança dos Estados, empresas do mercado segurador, gerenciadoras de riscos, transportadoras e outras fontes.

Fonte: transportabrasil