Proinveste: Rodovia Itabaiana-Itaporanga recebe camada asfáltica em novo trecho.

O governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra) e em parceria com o Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER), dá prosseguimento às obras da Rodovia Itabaiana/Itaporanga. Com recursos do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados (Proinveste) no valor de R$ 58.140.592,81, a futura rodovia com 52 km de extensão interligará a BR-101, na altura do povoado Aningas, em São Cristóvão, passando por povoados dos municípios de Itaporanga D’ajuda e Areia Branca até encontrar-se com a BR-235, precisamente no povoado Rio das Pedras em Itabaiana.
Segundo o secretário estadual da Infraestrutura, Valmor Barbosa, os trabalhos seguem em ritmo satisfatório. “Recentemente, aplicamos a primeira camada asfáltica em um trecho de 5 km no Povoado Rio das Pedras, próximo à bifurcação com a BR 235 e estamos com 80 profissionais se revezando em três frentes de trabalho, sendo que entre os povoados Mangueira e Mangabeira em Itabaiana, os operários executam os serviços de terraplenagem, camadas de base e sub-base. Já entre os municípios de Areia Branca e Itaporanga D’ajuda, são duas frentes de trabalho, na primeira estão sendo aplicadas as camadas de base, sub-base, compactação e regularização, na outra, próxima à BR 101, trabalhadores e máquinas realizam a terraplenagem e a primeira camada de base”, detalha.
Ele acrescenta que, no decorrer da rodovia, alguns trechos de pavimentação já foram concluídos. “Mesmo com a dificuldade na conclusão dos processos de indenizações e desapropriações de alguns imóveis que resultou no atraso de cronograma dos serviços, o longo período chuvoso em 2017, a complexidade na liberação de licença do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), uma vez que a rodovia faz confluência com o Parque Nacional Serra de Itabaiana e ainda o remanejamento de adutoras da DESO e da Cohidro, rede elétrica da Energisa e redes de telefonia, já temos 22 km asfaltados em trechos de povoados de Areia Branca”, Itaporanga D’ajuda e Itabaiana.

Melhorias

Moradora do Povoado São José em Itabaiana, Fabiana Aparecida Ferreira conta que a rodovia trará inúmeros benefícios. “Já estamos sentindo a diferença para melhor, pois, por incrível que pareça, a poeira diminuiu um pouco e quando a obra estiver pronta, vai valorizar os imóveis, melhorar o comércio, nos livrar do excesso de lama e de poeira e, principalmente, oportunizará linhas de vans ou ônibus, pois, os veículos que fazem transporte para Itabaiana cobram preços abusivos e, muitas vezes por conta da necessidade, somos obrigados a pagar”, declara a dona de casa de 35 anos.
Da mesma opinião, a moradora do Povoado Ipanema em Itaporanga D’ajuda, Edna Santos Félix, de 39 anos, declara que a rodovia é a melhor coisa que podia ter acontecido. “As dificuldades aqui são muitas, além do transporte particular para Itaporanga ser caro, as crianças que estudam na sede do município sofrem muito no período chuvoso e também no estiado, sendo que muitas vezes chegam nos colégios com o fardamento cheio de poeira. Outra coisa boa é que teremos linhas de ônibus tanto para Itabaiana quanto para Itaporanga, nossos imóveis serão valorizados, a possibilidade de construírem postos de combustíveis é muito grande, sem contar em outros benefícios que virão, eu mesma já faço caminhada todas as tardes pelo acostamento da rodovia”, revela.

A rodovia

Com 52 km de extensão e entrecortada por planaltos, vales e vegetação nativa, a rodovia atende ao padrão estabelecido nas novas estradas estaduais e terá dez metros de largura, sendo sete de pista de rolamento e três de acostamento, sistema de drenagem pluvial, sinalização horizontal e vertical, além da construção de duas pontes sobre riachos que cortam o percurso.

Além de interligar as duas principais rodovias federais que atravessam Sergipe, a rodovia que serve de acesso a um dos grandes frigoríficos e as maiores pedreiras do estado, facilitará o escoamento da produção agrícola e mineral, visto que oportunizará melhores condições de vida e segurança para a população, valorizará as diversas propriedades às suas margens e nas proximidades, encurtará distâncias entre as sedes dos povoados e os municípios, e, sobretudo, contribuirá para a ampliação da malha viária e o desenvolvimento socioeconômico.

FONTE: ASN