O governo federal aprovou a elevação da mistura de etanol anidro à gasolina para 27%. O anúncio foi feito pelos ministros de Minas e Energia, Eduardo Braga, da Agricultura, Kátia Abreu, e de Desenvolvimento, Armando Monteiro.

A intenção do governo é estimular a participação de fontes renováveis de energia e contribuir para aumentar a competitividade do setor do etanol no Brasil. “Esta é uma operação em que todos ganham: ganha o produtor, ganha o mercado, o sistema de abastecimento de energia no Brasil, e ganha também o nosso arranjo produtivo”, afirmou Braga.

O Ministério de Minas e Energia solicitou à Petrobras estudos dos impactos do aumento do teor da mistura de etanol na gasolina vendida no país. Um grupo de técnicos da empresa, representantes do governo federal e de associações de fabricantes de veículos e produtores de etanol foi constituído para esta finalidade.

Os testes, segundo o Ministério de Minas e Energia, não constataram problema técnico da utilização de 27,5% do uso de etanol, o que comprova a viabilidade técnica do novo teor de mistura. Os estoques são considerados suficientes para abastecer o mercado e manter a alteração da mistura na data definida, sem prejuízos e riscos de desabastecimento.

Em nota conjunta, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única) aprovaram a alteração na mistura de etanol à gasolina vendida no Brasil. A gasolina Premium manterá pura, sem mistura e é recomendada para carros movidos somente com o combustível.
Fonte: radarnacional

" />

Gasolina terá mistura de 27% de etanol a partir do dia 16.

O governo federal aprovou a elevação da mistura de etanol anidro à gasolina para 27%. O anúncio foi feito pelos ministros de Minas e Energia, Eduardo Braga, da Agricultura, Kátia Abreu, e de Desenvolvimento, Armando Monteiro.

A intenção do governo é estimular a participação de fontes renováveis de energia e contribuir para aumentar a competitividade do setor do etanol no Brasil. “Esta é uma operação em que todos ganham: ganha o produtor, ganha o mercado, o sistema de abastecimento de energia no Brasil, e ganha também o nosso arranjo produtivo”, afirmou Braga.

O Ministério de Minas e Energia solicitou à Petrobras estudos dos impactos do aumento do teor da mistura de etanol na gasolina vendida no país. Um grupo de técnicos da empresa, representantes do governo federal e de associações de fabricantes de veículos e produtores de etanol foi constituído para esta finalidade.

Os testes, segundo o Ministério de Minas e Energia, não constataram problema técnico da utilização de 27,5% do uso de etanol, o que comprova a viabilidade técnica do novo teor de mistura. Os estoques são considerados suficientes para abastecer o mercado e manter a alteração da mistura na data definida, sem prejuízos e riscos de desabastecimento.

Em nota conjunta, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única) aprovaram a alteração na mistura de etanol à gasolina vendida no Brasil. A gasolina Premium manterá pura, sem mistura e é recomendada para carros movidos somente com o combustível.
Fonte: radarnacional