Novo diretor do Detran-AL decreta guerra contra fraudes na autarquia

Novo diretor do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran-AL), Antônio Carlos Gouveia afirmou, em entrevista publicada na Gazeta de Alagoas, que sua gestão será intolerável a práticas de fraudes e erros administrativos. O órgão sob responsabilidade do advogado já presta 1,1milhão de atendimentos por mês e deve ter mudanças para aperfeiçoamento dos serviços nos próximos dias.

“O serviço do órgão tem que trazer rapidez e eficiência. Antigamente, o usuário já entrava em pânico quando pensava que tinha que ir à sede, pois aquilo tinha toda uma formatação de agonia e demora. Hoje, somente em janeiro, expedimos 10.500 documentos. Tudo no Detran é gigantesco”, disse Gouveia em entrevista à jornalista Luciana Buarque.

Para evitar práticas de corrupção, o diretor-presidente afirma que instituiu um serviço de inteligência no Detran-AL.

Gouveia vai incrementar, também, as 13 Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) do interior. Para o gestor, as unidades estão bem aquém do padrão de atendimento já prestado na capital e precisam de mais funcionários e infraestrutura. A cidade de Palmeira dos Índios é um dos exemplos. Na unidade, uma atendente recebe cerca de 70 pessoas por dia.

Modernizar os serviços por meio de totens é outra meta a ser cumprida até maio. Os equipamentos serão instalados em Maceió e municípios do interior com maior demanda. Ainda neste semestre, Gouveia unificar em um sistema a captação de imagens e exames clínicos da CNH. “Hoje temos uma capacidade para 130 vistorias diárias em automóveis, quero chegar a 250 por dia. Para isso, estamos vendo com a Polícia Militar a possibilidade de que policiais da reserva que já tenham o curso de vistoriador venham atuar na banca examinadora ou nas vistorias. Tudo isso para dar agilidade aos serviços”, afirmou o novo diretor do Detran-AL.

Os resultados das operações da Lei Seca deflagradas pelo Estado animam o novo gestor. Para ele, a medida é fundamental do ponto de vista pedagógico e de segurança no trânsito. Gouveia observa que em Maceió é preocupante o número de acidentes com motociclistas alcoolizados. Outra ação que tem surtido efeitos satisfatórios é a operação contra quadriciclos, que será intensificada no carnaval. O tráfego dos veículos na areia é proibido por representar riscos de acidentes aos banhistas.

O crescimento desordenado da frota de Maceió e a falta de estrutura da capital para monitorar o trânsito é outro ponto destacado por Gouveia na entrevista. O diretor-presidente sinalizou a intenção de a autarquia prestar apoio à capital. “No Estado, temos mais de 750 mil carros e 230 mil motocicletas. Estamos falando de quase 1 milhão de veículos transitando por ruas que são as mesmas há mais de 20 anos. Temos um esgotamento desse espaço, que resulta em agonia, pressa e acidentes. Como não há uma perspectiva de resolver isso num prazo curto, porque o planejamento e criação de novas vias demora anos, temos que encontrar algumas soluções. A Prefeitura de Maceió já criou algumas, como a Faixa Azul de ônibus, mas nós queremos ampliar essas soluções com a participação do Detran”, finaliza.

Fonte: radarnacional