DIREÇÃO ECONÔMICA: 9 PASSOS PARA CAMINHONEIROS

1. CONHEÇA A DIREÇÃO ECONÔMICA

A direção econômica é um conceito muito simples: conduzir o veículo da maneira mais eficiente de acordo com a situação do trajeto. Ou seja, se adaptar para estradas nas curvas, vias com declive ou lentidão no trânsito por meio do uso correto do acelerador, da transmissão e da direção.

O objetivo também é claro: fazer com que o caminhoneiro gaste menos combustível, preserve o funcionamento do caminhão e, ainda, ajude a conservar o ambiente e a garantir o seu próprio conforto e bem-estar. Para atingir essas metas, existem uma série de ações práticas, que vamos listar a seguir.

2. NUNCA DESÇA DE “BANGUELA”

Se existe uma má prática na condução de caminhões que ainda hoje é, infelizmente, bastante comum, é a famosa “banguela”, ou seja, utilizar a inércia do caminhão em descidas ou rotas planas para desengrenar o veículo e se locomover sem aceleração.

O problema é que o efeito real é o contrário do esperado: ao utilizar o veiculo em movimento com  a caixa de mudanças em neutro, o motor irá gastar combustível para se manter em funcionamento na marcha lenta. Já quando o veiculo está com uma marcha engrenada, em uma descida sem que seja pressionado o pedal do acelerador, a unidade eletrônica do motor corta o combustível e a rotação do motor é mantida utilizando a rotação vinda das rodas. Dessa forma não é necessário o uso de combustível. 

Além disso, a banguela faz com que a retomada de controle do veículo em caso de imprevistos seja mais demorada, o que pode ser um risco para sua segurança, dos demais motoristas e pedestres.

3. ACELERE COM SUAVIDADE

A injeção eletrônica também injeta mais combustível no motor quando sente que o motorista pisou no acelerador de maneira brusca. Aqui, o objetivo é fazer com que o caminhão tenha mais potência para responder a uma situação específica, que pode ser uma ultrapassagem ou desvio de obstáculo.

Por isso, é importante que, em situações normais, a aceleração seja feita com movimentos suaves, garantindo que a quantidade de combustível injetada no motor seja a ideal sem, no entanto, prejudicar o rendimento do seu caminhão.

4. RESPEITE O LIMITE DE VELOCIDADE

Existe uma lenda de que, em altas velocidades, o consumo de combustível do veículo diminui. Isso porque acreditamos que grande parte da energia gasta em um automóvel acelerado vem da sua própria inércia.

A verdade, no entanto, é que quanto mais rápido você estiver maior será a resistência do ar e, portanto, mais força o caminhão precisará ter para se manter naquela velocidade. O resultado é simples: maior rotação do motor, maior consumo de combustível e maior emissão de poluentes no meio ambiente.

5. EVITE FREADAS BRUSCAS

Você já deve ter notado que grande parte das estratégias da direção econômica envolve ações suaves, certo? Isso vale tanto para o momento de aceleração quanto no de frenagem.

Sempre que você conseguir visualizar um obstáculo à frente, como um sinal vermelho ou a travessia de pedestres, ao reduzir a velocidade e acionar o freio o mais cedo possível você corta o fornecimento de combustível, o que gera uma pequena, porém importante economia.

E aindas você diminui a pressão sobre os freios, prolongando a sua vida útil de forma considerável. Também não custa lembrar que frenagens abruptas são bem mais perigosas já que, se algo sair errado ou falhar, você terá muito menos tempo para corrigir o problema.

6. USE A MARCHA CORRETA

Um princípio bem simples que é levado em conta na direção econômica é o seguinte: quanto maior a rotação do motor, maior o consumo de combustível. E quais são as marchas que exigem mais dessa rotação? As mais baixas.

Por isso, sempre que possível engrene o caminhão nas marchas mais altas, seja em ambientes planos ou leves subidas e descidas. Uma boa dica é antecipar a subida de marcha em momentos de aceleração ou retomada de velocidade, fazendo com que o motor passe a funcionar em rotações mais baixas assim que possível.

7. DESLIGUE O AR-CONDICIONADO

O ar-condicionado é um vilão silencioso que pode estar fazendo o seu caminhão render muito menos. Isso porque o equipamento retira uma parte da potência do motor que, para compensar, queima ainda mais combustível.

Esse gasto é mais evidente na cidade, onde o consumo pode aumentar em até 10%. Portanto, desligar esse pequeno conforto em dias mais frios ou optar pela ventilação natural é uma boa ideia para manter uma direção econômica.

Apesar disso, fica um alerta: a partir de 80 km/h, o vento que entra pela janela do caminhão começa a interferir de forma consistente sobre a aerodinâmica do veículo e, portanto, também diminui o rendimento do veículo.

8. MANTENHA OS PNEUS CALIBRADOS

Circular com pneus com a calibragem errada é convite para mais gastos de combustíveis. Isso é especialmente importante para caminhoneiros que, em geral, carregam mais peso e por maiores distâncias. Um pneu mal calibrado gera mais atrito entre o veículo e o asfalto e o resultado é aquele velho conhecido: o motor precisa de mais força para render de forma equilibrada.

Não bastasse o gasto com combustível, pneus descalibrados também tem uma vida útil menor, demandando trocas mais frequentes. E não precisamos nem falar que não é nem um pouco barato trocar o jogo de pneus de um caminhão, certo?

9. CAPRICHE NA MANUTENÇÃO

Diz o ditado que prevenir é melhor do que remediar e ele não poderia estar mais certo: cuidar do seu caminhão antes mesmo dele apresentar qualquer problema é uma maneira inteligente de manter os seus custos controlados.

Com a manutenção preventiva você se certifica de que o motor está funcionando nas condições ideais, ou seja, sem sobrecarga por conta de sujeira, vazamentos ou má lubrificação. Afinal, todos esses problemas diminuem o rendimento do seu veículo e, mais uma vez, gera mais gastos com combustível.

Fonte: blogwlmscania